CAMINHOS DE PAPEL

quinta-feira, dezembro 07, 2006

TURISTAS NADA ACIDENTAIS


Apareceu uma nova praga na internet. Seja através de e-mails, seja pelo orkut, estão denunciando um filme americano (a ser lançado em fevereiro por aqui), chamado “Turistas”. Resumindo, trata-se de um terror “trash”, cujo enredo (?) mostra um grupo de turistas estrangeiros passeando por aqui e acabando como vítimas de traficantes de órgãos, numa seqüência de violências as mais escabrosas possíveis.
É claro que isso nos deixa indignados, pelo menos a nós que ainda sonhamos em ver esse imenso Brasil se tornar um país sério. Sim, porque alguém achar que tal produção depõe contra nós é ser, no mínimo, ingênuo.
O que será que depõe contra, mais que esse filmeco?
Vejamos: Quando saímos do período da ditadura que nos enfiaram goela abaixo, em 1964, estávamos tão entorpecidos que não percebíamos que seus efeitos iriam perdurar por décadas. Para começar, um bom número de nossos políticos atuais, que naqueles tempos cinzentos lambiam as botas dos militares, hoje estão aí posando de democratas e se locupletando com isso. Para esses, não há limites morais (tudo em nome do povo, de onde seu poder emana) ou físicos (haja vista a dinheirama em paraísos fiscais). Outros, que lutavam contra o regime autoritário descobriram que o “outro lado rende mais”.
Nosso Congresso, aliás, é um primor de descaramento. Sanguessugas não são punidos, Mensaleiros são absolvidos, apesar da posição em contrário das Comissões de Ética (acreditem, elas existem, sim).
E o que dizer do Judiciário, empenhando em árdua campanha para manter seus altos salários (ou mesmo aumentá-los). Pior ainda é ouvir de um presidente do Banco Central a recomendação de que, para os próximos anos, reduza-se o valor do salário-mínimo (em qualquer país onde o chefe da nação tenha um pingo de vergonha na cara, esse burocrata seria, no mínimo, chamado às falas).
Mas a sucessão de indigências não acaba aí: estamos assistindo, através a mídia, o caos em que se transformou (seria melhor dizer, finalmente se revelou) o tráfego aéreo do Brasil. Sendo considerado a menina dos olhos dos serviços públicos deste país, não deixa de ser surpreendente que o mesmo seja rebaixado ao mesmo nível em que se encontram os serviços de Saúde, Transportes Terrestres e Aquáticos, a Educação e – cuidado, senhores turistas, estrangeiros ou nativos – a Segurança.
Tudo isso é possível num país onde os responsáveis nada vêem, nada sabem. E não falo apenas desse governo que aí está, cego pela sede de poder, onde ideologias passam por cima da razão. Outros que o precederam, situando-nos apenas na época posterior à “revolução redentora”, se não fizeram pior, estiveram bem perto disso.
Causa-me estranheza (para usar um termo suave) ver agora brasileiros indignados sentados à frente de um computador deflagrando uma campanha contra espertalhões que querem ganhar seu sujo dinheirinho denunciando o perigo que se pode correr viajando pelo nosso país.
Mereceriam mais esse dinheiro, se escrevessem a história do Brasil de hoje.

1 Comentários:

  • Às 10:22 AM , Anonymous Mônica Montone disse...

    Tem toda razão, meu querido!!!

    A situação do nosso país, sua história, se encarrega de manchar ou queimar a própria imagem...

    beijocas

    MM

     

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial