CAMINHOS DE PAPEL

quinta-feira, novembro 13, 2008

ESCOLA DEPREDADA

Confesso que fiquei estarrecido! Quando liguei a TV, um helicóptero mostrava imagens de adolescentes correndo sobre telhados e jogando telhas ao chão. Pensei estar diante de mais uma rebelião numa dessas assim chamadas unidades educacionais. Porém, na medida em que a imagem abria, constatei se tratar da Escola Estadual “Amadeu Amaral”, no bairro do Belenzinho, onde estudei na década de 50 e hoje com quase cem anos de existência, que estava sendo destruída por delinqüentes, numa briga entre alunos.
As câmeras mostravam carteiras e mesas jogadas no pátio interno, vidraças arrebentadas e nem o pára-raios escapou da fúria dos anormais.
Que indigência mental e moral! Lembrei-me dos tempos em que freqüentava aquele estabelecimento, quando os alunos entravam em salas de aula, em fila, sempre sob o toque da sineta do “seu” Júlio. Também me vieram à memória, os ensinamentos de dona Iracema, os quais não esqueci até hoje e que me serviram como alicerce daquilo que sou e do que construí.
Bons tempos aqueles, em que os mestres eram respeitados e valorizados. Na pedagogia simplificada daqueles tempos não havia espaço para malabarismos pedagógicos. As crianças aprendiam, e os que não sabiam repetiam o ano. Não era como hoje, quando políticas educacionais destrutivas, não obstante o objetivo louvável de permitir o acesso de todos à escola, colocam bons e maus alunos no mesmo patamar, fazendo-se um nivelamento por baixo e levando a um aprendizado cada vez mais deficiente.
Ser professor significava ter status, merecer respeito por parte de alunos, autoridades e sociedade. Os salários, se não eram nababescos, permitiam viver com decência, não precisando o docente recorrer a outros meios de subsistência.
É honroso para mim, ter em meu círculo de relacionamentos, professores (irmã, parentes, amigos). O exemplo maior está na figura de minha mulher, a qual vi durante todos esses anos, dedicar-se com todas suas forças ao magistério. Como eu, hoje ela não vê soluções a curto ou médio prazo mostrando que a decadência do ensino público seja um mal passageiro. Por enquanto, infelizmente, temos de ouvir afirmações tais como a de que “estudar não é necessário”. Parte das conseqüências dessa filosofia está estampada agora nos jornais.

10 Comentários:

  • Às 3:45 PM , Blogger Késia Mota disse...

    É Carlos, não sei se fico besta ou boba, não sei se choro ou se grito, se é decepção ou uma triste constatação. Será que esse dia iria mesmo chegar? Se chegou, será que se irá? Sei que não é bom, não é normal, queria que não fosse real. A violência trouxe o caos. Se nada for feito logo no coração das pessoas, está tudo acabado.

     
  • Às 3:58 PM , Blogger angelo disse...

    Caro Carlos,

    Acredito que enquanto tivermos governantes que andem na contramão do ensino esse panorâma dificílmente mudará. O governo atual é um bom exemplo, dispensa-se comentários sobre o nível de educação do Presidente e seus asseclas, mas os anteriores também não merecem ser poupados de críticas. Enquanto a educação estiver atrelada à essa política sórdida de baixo calão onde o interêsse é das minorias dominarem as maiorias justamente em função do não desenvolvimento das potencialidades do nosso povo através da educação vai ser muito difícil. Fazendo uma analogia à um dito popular de que "quanto pior melhor", para os governantes seria "quanto menos educação melhor", prova disso disso é a qualidade dos governantes que o eleitor tem elegido nos últimos anos em todos os âmbitos. O assunto é vasto e pra finalizar deixo aqui meu pensamento para reflexão : "Voto obrigatório é dar tiro no pé, Voto facultativo JÁ pois é voto com consciência" aí quem sabe as coisas podem começar amudar de rumo! A Educação é a Base de Tudo!

     
  • Às 6:11 PM , Blogger Angela Nadjaberg Ceschim Oiticica disse...

    Realmente o ensino público deixou de existir...mesmo, quando mandamos nossos filhos para os particulares, eles vão lá aprender o que?
    O grande mestre, a TV, mostra cenas de violência explicitas.
    Uma vez fiz uma assinatura de uma revista para minha filha, a Capricho, nove meses depois meu neto nasceu... e assim vai.
    Já nada resta do antigo respeito. A política educacional, é como o resto todo no país: corrupta.

     
  • Às 2:30 AM , Blogger Estrangeira disse...

    Acompanhei a notícia com crescente espanto, mas logo após veio outra notícia igualmente aterradora. E no dia seguinte, mais uma.
    As coisas estão realmente muito esquisitas. Os valores totalmente mudados e minha fé na humanidade já não é a mesma...

     
  • Às 2:54 AM , Blogger Danielle Wirtz disse...

    Bom dia Carlos, realmente é triste vermos a educação desta maneira, mas por incrível que possa ser, os jovens são os menos culpados nesta história... o mundo moderno deixa a educação a cargo da tv, os pais não tem mais tempo e nem força de vontade para educar os filhos... os professores, despreparados por falta de estímulos estão cada vez mais deprimidos e apáticos... o resultado está aí... o caos... imagina quando esta geração se tornar adulta? Já pensou como será a sociedade?

     
  • Às 4:19 AM , Blogger Lilian disse...

    É, meu amigo... Como disse o poeta Cazuza:
    "Ideologia...Eles precisam de uma, pra viver..."

     
  • Às 3:29 PM , Blogger Zulmar Lopes disse...

    Pois é. A que ponto chegamos. Lembro que, quando eu era estudante há 25 anos atrás havia ao menos respeito pelos professores. Hoje, quando passo na porta de algum colégio, chego a temer pela minha segurança. Imagino o que passam aqueles que têm como profissão preparar esses jovens que apenas sabem usar a violência como forma de se manifestarem.

     
  • Às 11:17 PM , Blogger Edweine disse...

    Caro Amigo Carlos,

    Apoio completamente suas palavras. Fui professor durante nove anos no Brasil, e sei que as dificuldades de nosso sistema educacional e antes de tudo um problema social. Cenas assim entristecem, mas tambem nos fazem pensar. E digo: a crise da Educacao e mundial. O Japao, tradicionalmente mais respeitoso a figura do professor, tambem esta enfrentando problemas recentes nesta area. Mas... continuemos na luta. Pacifica. Abracos. Edweine

     
  • Às 11:17 PM , Blogger Edweine disse...

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • Às 8:13 AM , Blogger Mary Joe disse...

    Triste demais essa história toda Carlos. Acho que é da gente se perguntar que tipo de adultos teremos com essa meninada de hoje. E pior, tb naõ vejo uma solução simples para isso...

     

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial